CIRURGIA 

DE CATARATA

Método seguro, lentes especiais,

experiência e tecnologia moderna

para realização de Cirurgia de Catarata e casos de alta complexidade.

O QUE É CATARATA

A catarata é o processo de opacificação do cristalino, a lente natural do olho, normalmente incolor e transparente, que tem como objetivo focalizar os objetos que enxergamos. Por diversos motivos o cristalino pode se tornar opacificado, causando a alteração denominada catarata. Esse problema acomete milhões de pessoas e é a maior causa de cegueira tratável no mundo.

AS CAUSAS

Existem muitas causas para o aparecimento da catarata. As principais são: 
Envelhecimento - é o fator mais comum ao aparecimento da catarata, estando relacionada à  idade e ocorrendo geralmente após os 60 anos.


Congênita - a criança nasce com a doença, podendo ser decorrente de infecções intra-uterinas ou malformações do globo ocular.
Traumática - ocorre após acidentes com o olho e, geralmente, é unilateral. Mesmo sem perfuração do olho, o trauma pode provocar a opacificação do cristalino.


Defeitos metabólicos  - o mais comum são os provocados pelo diabetes, que se inicia, geralmente, em idade precoce e leva a uma perda visual mais rápida que em  relação à catarata  senil.


Secundária a medicamentos - acontece em função do uso de medicamentos,  principalmente o corticóide, quando é usado por longos períodos.


Existem ainda as cataratas secundárias a inflamação, as causadas por choques elétricos e por outros problemas do globo ocular.

OS SINTOMAS

Os primeiros sintomas são as flutuações da visão, que se torna mais embaçada em determinados momentos do que em outros. Muitas pessoas notam que sua visão gradualmente começa a piorar. Objetos podem aparecer amarelados, ofuscados ou distorcidos. O dia parece estar enfumaçado.  Outros sintomas comuns são: halos ao redor das luzes à noite, aumento da miopia, visão dupla ou sombras na visão. Em casos avançados, a catarata pode ser percebida ou observada no centro da pupila como uma mancha branca ou amarelada.

OS TRATAMENTOS

O tratamento da catarata é sempre cirúrgico, não havendo meios clínicos cientificamente comprovados de melhora. Antes são necessários alguns exames para uma operação segura e bom resultado visual: biometria, microscopia especular e topografia de córnea. Após os exames o paciente está pronto para a cirurgia de catarata, que consiste na retirada do cristalino opacificado e sua substituição por uma lente intra-ocular artificial.

BENEFÍCIOS DA CIRURGIA

Com o advento das lentes intra-oculares, após uma cirurgia de catarata, o paciente poderá voltar a sua visão normal com todos os seus predicados: melhora da acuidade visual e visão de cores aprimorada.  Muitas pessoas podem voltar a dirigir, ganhando independência.  Atividades favoritas como ler, costurar, assistir à televisão e mesmo usar computadores serão possíveis após a cirurgia. Doenças oculares associadas ou problemas na retina e nervo óptico podem, no entanto, interferir na qualidade da visão.

TÉCNICAS UTILIZADAS

FACOEMULSIFICAÇÃO - Essa técnica se baseia no princípio do ultrassom. É feita uma pequena incisão no olho, pela qual a catarata é triturada e aspirada ao mesmo tempo, através do uso de equipamentos próprios para emulsificar e aspirar o material cristaliniano. Após a retirada do cristalino opacificado, é colocada uma lente intra-ocular para compensar o grau do cristalino normal. 

CIRURGIA DE CATARATA COM  ANESTESIA TÓPICA

Na facoemulsificação pode ser utilizada uma moderna técnica de anestesia,  denominada tópica, em que são aplicados somente colírios. Sua principal vantagem em cirurgia de catarata é evitar riscos associados à anestesia injetável. Com a anestesia tópica, evitam-se hemorragias palpebral e conjuntival, que comprometem esteticamente o pós-operatório. Além disso, permite que o cirurgião oriente o paciente quanto ao posicionamento ocular no per-operatório e possibilita a alta sem curativo oclusivo. As funções motora e visual do olho permanecem normais após o término imediato do procedimento.

APARELHOS FACOEMULSIFICADORES

Modernos aparelhos estabelecem um novo padrão de performance na facoemulsificação, processo de aspiração do cristalino durante a cirurgia de catarata. Eles utilizam tecnologia inteligente, que otimiza cada etapa do procedimento oferecendo maior agilidade e segurança. Esses novos sistemas se adaptam automaticamente às mudanças de condições dos olhos durante a cirurgia promovendo mais estabilidade, melhor controle da pressão intraocular e uma fluídica mais moderna – que significa maior sincronia entre a velocidade de irrigação do globo ocular e a aspiração do material cristaliniano opacificado.

CIRURGIA DE CATARATA A LASER

A cirurgia de catarata obteve um grande auxílio da tecnologia empregada em cirurgia refrativa, para correção de grau, com o uso do laser de femtosegundo. Este laser é capaz de realizar as incisões corneanas, a abertura da cápsula anterior do cristalino e por fim, dividir o núcleo da catarata ou diminuir sua densidade. Sendo assim, os passos cirúrgicos ficam mais simplificados e mais seguros. Porém, é importante ressaltar que ele não evita as incisões ou mesmo a necessidade de utilização do facoemulsificador para a remoção completa da catarata.

OS PROCEDIMENTOS PRÉ-CIRÚRGICOS

O paciente e seu médico decidem juntos pela remoção da catarata. Todas as informações são fornecidas ao paciente e o caso, com os dados que formam o histórico do problema ficam armazenados no computador. As informações relativas à técnica cirúrgica escolhida e ao tipo de lente a ser implantada são repassadas para o serviço de Relações Públicas do CBCO, a fim de permitir o planejamento da cirurgia. O paciente pode marcar o dia e hora, conforme sua conveniência, preparando-se para a cirurgia de acordo com as recomendações.

RESULTADOS DA CIRURGIA

Com a evolução da tecnologia e o treinamento do pessoal especializado, resultados espetaculares estão sendo obtidos. A grande maioria dos pacientes operados retorna à visão normal que tinha antes do aparecimento da catarata. 
Porém, há que se dizer que não se trata de um procedimento banal, exigindo técnica, conhecimentos e equipamentos adequados. Quando a cirurgia de catarata é feita sem determinada estrutura, aumenta-se o risco.

RISCOS DA CIRURGIA

A cirurgia de catarata, atualmente, é muito segura.  Algumas raras complicações podem acontecer, como infecção, hemorragia e descolamento de retina. A incidência desses problemas é muito baixa. Normalmente, tais intercorrências podem ser tratadas ou controladas durante ou após a cirurgia. É uma cirurgia simples para o paciente,  porém muito sofisticada para o médico que a realiza, exigindo tecnologia e aparelhos avançados.
É sempre bom lembrarmos que a cirurgia de catarata ou implante de lentes intra-oculares por diversas razões continuam sendo cirurgias delicadas em uma região muito sensível de nosso organismo: nosso olho. Médicos e equipes muito bem treinados e experientes para realização dos procedimentos a que se propõem, além de  uma instituição hospitalar confiável, podem diminuir os riscos na realização do procedimento.

LENTES INTRA-OCULARES UTILIZADAS

O desenvolvimento tecnológico está sendo usado para produção de lentes intra-oculares com características especiais, chamadas “lentes premium”, que agregam novas características às lentes intra-oculares tradicionais. Destacamos:

LIOs TÓRICAS: são lentes que diminuem o astigmatismo dos pacientes, e não apenas a miopia e hipermetropia como fazem as lentes intra-oculares tradicionais. Aumentam a possibilidade de paciente operados de catarata ficarem independentes do uso de óculos para a visão de longe. 

LIOs MULTIFOCAIS: são lentes que através de diferentes tecnologias permitem a formação de mais de um foco na retina do paciente, permitindo visão com boa qualidade tanto para objetos localizados a longa como a curta distância, como por exemplo, as lentes trifocais que possuem focos para longe, meia distância e perto.

LIOs TÓRICAS E MULTIFOCAIS: agregam as funções das duas anteriores, permitindo correção do astigmatismo e do grau para longe e perto com uma mesma lente.

LIOs ACOMODATIVAS: tipo de lente que muda sua posição de acordo com o esforço de acomodação do paciente. Este esforço acomodativo é o que utilizamos ao mudar o foco para perto, como na leitura. São usadas em casos muito selecionados, pois podem diminuir sua eficácia com o passar do tempo.

LIOs COMPLEMENTARES: são lentes implantadas em pacientes que já possuem outra dentro do olho. São usadas para corrigir ou melhorar o desempenho da primeira lente empregada. Podem, por exemplo, ser LIOs tóricas corrigindo um importante astigmatismo residual após uma cirurgia anterior com lente tradicional. 

LIOs FÁCICAS: lentes implantadas dentro do olho, sem a retirada do cristalino original. São utilizadas em altas miopias ou hipermetropias que não podem ser corrigidas por cirurgia a laser, normalmente em pacientes mais jovens e que tem seu cristalino ainda sem sinais de catarata.

PROCEDIMENTOS PÓS-CIRÚRGICOS

Atividade - O paciente pode continuar atividades habituais, tais como ler, assitir  televisão e dirigir, de acordo com as possibilidades. Deve evitar banho de mar ou piscina, andar a cavalo e  atividades físicas exageradas pelo período de um mês. Após esse tempo, poderá retornar a todas suas atividades normais, sempre evitando traumas ao olho.

Alimentação - Não há restrição alimentar a ser feita, devendo a quantidade e o tipo de alimento serem os habituais.

Sintomas - É normal ocorrer lacrimejamento e sensação de corpo estranho no olho nos primeiros dias. Também é normal que a visão varie durante o período de cicatrização do olho.

Precauções - Se necessário, proteja o olho operado com óculos escuros ou de grau. Na primeira semana, evite deitar-se do lado operado, não comprima ou coce o olho. Ao lavar o cabelo, não jogar água dentro do olho operado.

Higienização - Lave as mãos antes de iniciar a higiene do olho. Em caso de secreção, limpe suavemente as pálpebras com um cotonete umedecido com soro fisiológico, enxugue o olho com lenço de papel, jogando-o fora em seguida. Não use lenço de pano.

Aplicações de medicação - Suavemente, puxe a pálpebra inferior e aplique a gota do colírio sobre o globo ocular. O paciente não deverá sentir dor, mas se isso ocorrer, pode usar analgésico de costume. Se estiver sob algum tratamento específico, o seu médico deve ser informado para orientação adequada.

                                           BAIXE O NOSSO eBOOK COMPLETO COM ILUSTRAÇÕES SOBRE CIRURGIA DE CATARATA.

FOLDER CIRURGIA DE CATARAT DR. JOSÉ BENIZ

VEJA TAMBÉM O VÍDEO SOBRE CATARATA - Tratamento, Cirurgia, Lentes e Técnicas